Desabafos e outros dramas · Organização Pessoal e Bullet Journal

Tenha uma lixeira por perto

Uma das coisas que eu mais acumulo na vida é papel. Sabe a segunda via, o “ah, não precisava da minha via, dá aqui e eu jogo, vai” e ela vai parar na bolsa, vai parar na escrivaninha, vai parar em algum lugar indesejável.

Fora outros papeis. O envelope da fatura do cartão não precisa ser guardado. As tirinhas de papel do boleto da internet também não. Então elas ficam ali, te olhando e culpando por não ser a pessoa organizadinha que você sempre quis ser.

Por isso, espalhei lixeiras pela casa. Hoje, coloquei mais uma, no quarto. Tem uma em cada cômodo, em alguns tem duas. O lixo tem que sair da vida, então também coloquei um alertinha no celular pra colocar o lixo no corredor nos horários certos. Não vai mais ficar lixo em casa, tem que ir pra rua, tem que ir pra fora.

Limpeza do ambiente em que a gente vive não é só questão de viver em um ambiente limpo da sujeira visível. A gente tem muita coisa pra jogar fora dentro da gente. E juntar lixo, às vezes, é só mais uma maneira de pedir socorro.

Foto

Desabafos e outros dramas

Sobre pequenos passos

Acho que já perdi a conta de quantos “primeiros passos” eu dei. Metaforicamente, levantar da cama todo dia já é como escalar um Himalaia.

Porém, ultimamente, as coisas tem sido menos homéricas. Consigo sair da cama. Consigo lavar louça, passar uma vassoura na casa. Voltei para a academia. Fui no podólogo. Comi corretamente a semana inteira e emagreci 1kg, tudo dentro da meta que estabeleci.

Tem horas que não acredito que coisas boas podem acontecer para mim. Fico prevendo – às vezes parece que até desejando (!!!) – que algo ruim aconteça. Auto piedade. Ou auto pena. Tudo é ruim.

Acho que ter ido aos médicos (aliás, preciso ir levar o resultado dos exames…) e ter me dado ao trabalho de fazer pequenas coisas foram passos largos. Contudo, não houve, pelo menos dessa vez, a função de epopeia, as coisas apenas fluíram e foram acontecendo.

Ganhei uma grana, gastei outra grana, vou poupar um outro tanto.

Estou feliz mas não estou plena. Que louco isso, não é? Como alguém pode estar feliz mas não estar bem? Pois é. Faces e devaneios de alguém que aprende todos os dias a lidar consigo mesma, mas que transformou a batalha em lição. Educar o cérebro, o corpo e as emoções leva tempo e, eventualmente, é preciso extravasar. Que vá embora tudo que é ruim.

São passos pequenos. Mas já são passos.

P.S.: todo dia um passinho novo. O de hoje foi mudar o layout do blog e fazer esse post.

Foto