Pequeninas pílulas de amorzinho

Ontem

Era uma senhora oriental muito bem maquiada e elegante. Eu havia comido um belo prato de massa e estava arrotando molho de tomate, passei por ela para pagar a conta do mini restaurante do posto de gasolina, um oásis para os dias em que é difícil sair para almoçar. Segurou meu braço, olhou bem fundo nos meus olhos e falou:

– Eu queria ter olhos como os seus.

E riu uma risada gostosa enquanto eu agradecia. E seguiu:

– Você é uma menina muito bonita, agora imagina eu, uma velha japonesa com olho azul! Eu iria até abrir os olhos!!!

E mais uma risada gostosa e eu juro que naquele momento eu me senti a menina mais linda do mundo, ninguém ganharia de mim. Ela me ensinou duas palavras em japonês, mas eu não consegui gravar muito bem, deveria ter anotado.

Paguei a conta, dei boa tarde e desejei passar o resto do dia sentada na mesa conversando com ela.

Uma senhora me salvou ontem.


Depois de dias difíceis, o ônibus parece um descaso com meu corpo cansado, mas é o meio mais barato de chegar em casa. O clima estava agradável o suficiente para andar um pouco e capturar uns pokemons no caminho, então fiz isso, não conseguia prestar atenção em nada e nem em ninguém.

Desci e senti um pingo, o que me fez acelerar um pouco o passo. Chuva não, por favor, não.

Aí ele apareceu, empurrando o carrinho com dificuldade, me olhou, sorriu e me deu um boa noite enérgico. Um senhor, catador de materiais reciclados, me desejou tão sinceramente que a minha noite fosse boa que ela melhorou.

Vacilei de novo, porque deveria ter pago uma janta para ele. Vou aproveitar que já deu o horário de saída e vou tentar encontrá-lo de novo hoje para pagar um marmitex.

Um senhor me salvou ontem.

Anúncios

Músicas felizinhas de segunda #10 (é terça de novo edition)

Essas playlists têm revelado um monte de mim mesma. Não só pelo meu gosto musical que se encontra bem diferente do que costumava ser – e não é que eu tenha deixado de gostar dos outros gêneros, eu só percebi que gosto mais desses – mas também pelo que tenho visto de mudança na minha personalidade.

Ultimamente eu tenho tido tanto medo… O cenário de ódio e opressão em que estamos e é cada dia mais necessário tomar uma posição e defendê-la. E nesse medo eu sinto que em mim nasce amor: pela liberdade, pelas pessoas que não tem as mesmas chances que eu tive, pelo reconhecimento dos meus privilégios e a decência de me despir deles, pelos que sentem um ódio inexplicável por algo que nem os atinge diretamente, por todas as pessoas que precisam encarecidamente de aulas de história e interpretação de texto (mostrando que a precariedade de educação nos últimos 40 anos fez um bom estrago na população)… Então essa é playlist é por entender e começar a trilhar um caminho de paz, de luz e de amor no tempo em que paira sobre nós uma escuridão.

Find my way

É a essência do que eu procuro: um caminho, uma luz, um guia. E nesse ínterim, o que eu tenho de certeza é que há também uma crescente de posicionamento e o meu se revela em duas palavras: #EleNão.

Photo by Mihis Alex from Pexels

Músicas felizinhas de segunda #8 (eu sei que é terça edition #2)

Um colega de trabalho saiu e eu estou com duas contas e as coisas talvez estejam saindo um pouco do meu controle.

Ainda assim, eu tirei um tempinho hoje para fazer essa seleção de 10 músicas felizinhas porque eu precisava disso. E resolvi fazer algo especial só com mulheres e só músicas em espanhol porque sim.

Escute agora: SOLAMENTE DIEZ 

line

Estou em crise de imagem, acho. Não, eu tenho certeza. Eu fico pensando na pessoa que eu quero ser e cada vez parece que eu fico mais distante e parte disso é auto sabotagem.

Então deu vontade de fazer uma volta às origens com essa playlist. Eu amo músicas em espanhol e amo a cultura da América Latina. Então por quê diabos eu tenho sido tão eurocentrada no que faço? Não sei. Más influências de redes sociais, talvez.

Estou fugindo da pessoa que eu quero ser. Colorida, viva e forte.

Preciso de mar, de praia, de brincos gigantes de abacaxi, de um vestido florido e de um cabelo desgrenhado (opa, isso eu já tenho). Preciso de pé na areia ou na grama, preciso de um pouco de paz, pular corda no parque e dançar na chuva.

Preciso de vida.